quinta-feira, janeiro 31, 2013

Na próxima semana, o que me espera


- Domingo, estarei em casa para dar um beijo enorme aos meus pais. 23 anos de casados.
- Domingo, o meu pai voltará para Angola. 
- Terça, é a vez da minha mãe fazer anos.
- Terça, o meu pai não estará cá.
- Nem quarta, nem quinta, nem sexta, nem sábado.

Será apenas uma semana. 
Uma semana cheia de saudades dele!

Chuck and Blair


Tenho saudades de os ver!

domingo, janeiro 27, 2013

É, «desilusão», acho que é isso.

Não gosto que me chamem «bebé». Não gosto de lamechismos e lamurias. Sou demasiado focada e analítica. Adoro a sensação de receber um abraço, mas não gosto de estar a receber abraços a tempo inteiro e a torto e a direito. Não gosto de melodramas, nem de festinhas na cara. Odeio observar casais que passam o tempo agarrados um ao outro sem proferirem uma única palavra. Gosto de acção numa relação.



No entanto, - e antes que pensem que sou a mulher de gelo - deleito-me com pequenos gestos. Pequenos gestos românticos, como uma rosa ou uma serenata. Pequenos gestos de amizade, como «Sabias que gosto muito de ti?». Pequenos gestos e pequenas palavras que dizem mais do que um discurso de uma hora.

Gosto de pessoas directas. Sem rodeios.
Daí que nunca chorei por um rapaz. Por muito magoada que estivesse, nunca me permiti a mim própria chorar por causa de um rapaz. Focada como sou, por muito que o meu coração estivesse amachucado, arranjava sempre forma de dar a volta por cima e eram os estudos o meu «saco de boxe».




Mas ver uma fotografia a circular na Internet dele a beijar a cara de outra, não fazia parte dos meus planos para um domingo de manhã. Não tenho vontade nenhuma de chorar, estou só desiludida. É, desilusão, acho que é isso.

sábado, janeiro 26, 2013

sexta-feira, janeiro 25, 2013

O meu remédio caseiro 100% eficaz



Já Winnie the Pooh sabia o que estava a fazer quando colocava as suas pequenas mãos nos grandes frascos de mel.
O mel é óptimo para constipações, tosse e dores de garganta. Alivia ainda a sinusite e o chamado catarro. É energético, acalma, melhora o humor e estimula a produção de serotonina. Além disso é rico em minerais, bem como em vitamina C e vitaminas do complexo B. É, também, um óptimo tonificante de músculos, tecidos, nervos e órgãos em geral. 
Para além de que é delicioso.

Isto tudo porque acordei, há uns dias, com umas dores de garganta insuportáveis e apenas duas colheres de mel durante dois dias seguidos resolveram o problema. 100% eficaz.

could this be any more awkward...?





Eu, no ginásio, (a "brilhar" intensamente), numa daquelas máquinas para os glúteos, quando o vejo a aproximar-se;  e penso:

- (Não. Stay there. Bad dog, não venhas, não venhas, está quieto! Não me vês a transpirar? Fica aí).
Ele - Olá!
Eu - (bolas) Olá!
Ele - Estás preparada para o teste amanhã?
Eu - Obviamente, afinal é Português.
Ele - Pois, também não há assim muito para estudar, não é? Por isso é que vim hoje.
Eu - Exacto... Também estás preparado?
Ele - Acho que sim. (...)
Eu - (...)
Ele - Bem, então bom treino!
Eu - Igualmente!

A sério? A sério mesmo? 
Há meses naquele ginásio com ele e creio que nunca tive uma conversa destas. Porquê agora?
É certo que eu própria já imaginei n conversas com o dito cujo e, lá no fundo, estava a desejar para que isto acontecesse, mas ontem? Ontem, não. 


É quando decidimos que vamos parar, que vamos deixar de imaginar, que vamos deixar de sentir qualquer atracção por determinada pessoa - porque, simplesmente, já não vale a pena e, afinal, ele olha para todas menos para ti -, é quando tomamos estas decisões super importantes que o Universo decide trocar-nos as voltas e voltar a pôr as nossas vidas de pernas para o ar.
Muito obrigada, caro univerno, muito obrigada por me deixares, novamente, no limbo, sem saber para que lado me virar.


terça-feira, janeiro 22, 2013

Deve ser bruxaria.



E se eu vos dissesse que, durante todos estes anos, em rigorosamente todos os dias de S. Valentim, nunca tive um encontro ou, pior, um namorado neste dia?
Ou seja, e se eu vos dissesse que (e apesar de não concordar com o consumismo deste dia em particular) nunca vivi realmente um verdadeiro dia dos namorados?!

É, pode parecer mentira, mas é sempre no dia 14 de Fevereiro que eu estou solteira. E por muito que me esforce para que isso não aconteça num determinado ano, é quase inevitável. Nem que na semana a seguir já esteja acompanhada, no dia 14 de Fevereiro estou sempre  solteira. 
Sempre.

Posto isto, acho que já tenho planos com o meu sofá para este ano.

Para reter


Uma das mais extraordinárias, verdadeiras e poderosas frases que eu tive o privilégio de encontrar por aqui. 
Algo tão simples e, simultaneamente, com um poder enorme.
Seria esta a frase que todas as crianças no mundo deveriam ouvir. Iria fazer toda a diferença; assim como fez comigo.

segunda-feira, janeiro 21, 2013

Vida a minha


Digam lá se não é perfeito!
Quentinha em casa, com uma chávena de chá de um lado e a internet do outro. O pijama seria mesmo bem vindo, mas, como pessoa modesta que sou (?), podia contentar-me com as hoodies e as sweatpants.
O meu protótipo de vida louca (sim, sou mesmo social).

domingo, janeiro 20, 2013

O que me corrói.

E é isto que eu tenho de aprender.
 E é isto que eu ando a dizer que tenho de aprender e que não aprendo.
Mas é isto que eu tenho de aprender.

É só meter na cabeça.

sábado, janeiro 19, 2013

Simplesmente, parem.




Foram dezenas as raparigas que, eu própria, já vi chorar, passar fome, ou (simplesmente) apenas ligar e apoquentarem-se com comentários destes, quer por parte de outras raparigas, quer por parte de rapazes.
Por isso é que faço este apelo: parem. 
Porque não somos todos iguais, uns são mais sensíveis do que outros, e lidamos todos com determinadas situações de formas diferentes, daí que, por muito magra que uma rapariga seja, nunca, mas nunca lhe chamem de gorda (ou mesmo o inverso), mesmo inocentemente ou numa brincadeira de amigos, porque ninguém sabe o historial dessa pessoa.

Infelizmente, já tentei acalmar, dizendo «não! Tu és perfeita» a muitas destas raparigas, e não é tarefa fácil, nada fácil, a sério. Até a mim, numa brincadeira de crianças, quando um rapaz me pediu para me desviar e eu não o fiz, ele tenha dito «não sejas gorda», e eu, com apenas doze anos, acreditei.

Não acham que já chega de tentar impingir seja o que for nesta sociedade?

sexta-feira, janeiro 18, 2013

Vida de gato


A Nala passa tanto tempo sozinha, a olhar pela janela lá para fora, que às vezes penso que ela anda a tramar alguma; talvez até telepaticamente com outros gatos.
Mas, depois, o meu lado racional sobrepõe-se ao da imaginação e chego à conclusão que não. Ela tem apenas a sorte de ser um gato. Gato esse que passa o dia em casa, come e bebe e não paga, e está constantemente a receber mimos.
Vida de gato.

To Remember:


Gosto do cabelo dela.
Quando tiver coragem e estiver farta do meu cabelo comprido (ainda não, para já), vou-me atrever a fazer o mesmo.

E juro: só escrevi isto aqui para não me esquecer.

quinta-feira, janeiro 17, 2013

baby phone


E o meu Lumia já não apanha mais frio. 
Já está todo vestidinho com a sua nova capa preta. Não, não é a da imagem, mas seria, de facto, muito bem vinda ao guarda-roupa do meu bebé. 

Hoje



Todas as pessoas que saíram daquela sala de teste, uma por uma, sem qualquer excepção, traziam expressões de uma mistura de raiva e desalento, como se o mundo tivesse mesmo para acabar. 
O grupo que estava cá fora, e que ia ter essa mesma avaliação a seguir, desistiu até de fazer perguntas sobre a matéria, tal era a expressão facial de cada um (bem, pelo menos não entraram com esperanças, ao contrário de nós!).

Depois do choque inicial, tirei proveito da situação toda e não consegui conter as gargalhadas, (daí que era eu uma das únicas pessoas animadas por ali - não consigo perceber como é que não me bateram naquela altura, a sério). É que acordei com a música Let's talk about sex na cabeça e, nem que quisesse, a conseguia esquecer.
O teste todo, minha gente, o teste todo com a letra
«Let's talk about sex baby, Let's talk about you and me, Let's talk about all the good things and the bad things that may be, Let's talk about sex...».
Não há nada que me ponha mal disposta hoje.

quarta-feira, janeiro 16, 2013

Update



Eu sei que estou a ser uma péssima blogger ao deixar-vos assim ao abandono, juro que sei!
A razão é simples, estou atolada de tarefas e trabalhos, pelo que nem me apercebi que os rascunhos por aqui acabaram. Estou, vá lá, muito, muito desejosa que chegue amanhã à tarde, para poder actualizar isto tudo e pôr-me a par das vossas novidades.
E para verem só um bocadinho do quão atarefada estou digo-vos que tive um jantar de aniversário na sexta, outro no sábado, agora vou a correr para outro, no sábado à noite outro jantar me espera e domingo ao almoço idem - mas, claro, esta é a melhor parte de estar assoberbada
Resta pedir-vos que me desejem sorte para um teste, daqueles super importantes, que vou ter amanhã.

domingo, janeiro 13, 2013

The *epic* Lion King


Chorei tanto - mas tanto - nesta parte. Foi baba e ranho e tudo o resto.

The Impossible




Ontem, cheguei às seis da tarde e já não conseguia ver mais exercícios à minha frente. 
Já o filme «Silver Linings Playbook» foi - como prometido a mim própria - a recompensa da tarde de estudo e, sim, gostei muito de o ver. Não posso dizer que tenha adorado, mas é um bom filme, especialmente a parte final - essa sim, adorei.

Hoje, o dia repete-se. 
Acordei e deu-me uma súbita vontade de fazer brownies - de certeza que me vão dar uma extra-força para pegar nos livros logo no final do almoço (assim espero).
De tarde volto aos meus exercícios e, à noite, terei o filme «The Impossible» à minha espera.
Este sim, é um dos filmes que mais quero ver. É sobre uma família que vai de férias para a Tailândia, mas, na manhã de 26 de Dezembro, são surpreendidos por um tsunami. Admito que o trailer deste filme em particular me deu calafrios. Já o viram?


sábado, janeiro 12, 2013

Para hoje será




O fim de semana vai ter de ser passado entre livros e exercícios de Matemática A. A vontade não é - absolutamente - nenhuma, mas tem mesmo de ser; daí que, neste preciso momento, estou a tentar convencer-me de que sim, béu, tem mesmo de ser. 
A recompensa será, logo à noite, ver o filme «Silver Linings Playbook» (ou, em português, «Guia para uma final feliz») deitadinha, com a manta no colo e a chávena de chá na mão (assim espero).

Tenham um bom sábado!

sexta-feira, janeiro 11, 2013

Pombas



Porquê? Não sei bem, mas estes bichinhos fazem-me imensa confusão. São meras galinhas com asas.
E eu odeio galinhas.

quinta-feira, janeiro 10, 2013

Vida atribulada a minha



A sério, a minha vida está tão interessante, tão cheia de acção e acontecimentos para lá do espectacular, que os posts neste blog chovem a potes, dia após dia. É uma adrenalina constante por estes lados, se é.


Mas eu acredito - bem lá no fundo - que isto vai mudar, o tédio irá desaparecer, e voltará a inspiração e menos - muito menos - monotonia na minha vida. Vamos lá todos acreditar, por mim, está bem?!

terça-feira, janeiro 08, 2013

Amanda Seyfried



Tem qualquer coisa de especial que me cativa assim muito a ver os seus filmes.
Gosto muito desta atriz.

O que eu acho atraente


Gosto de ver homens assim. Com um pouco de barba. É tão sedutor.

segunda-feira, janeiro 07, 2013

Um post feminino - para (não) variar



O que é que vocês fazem ao cabelo quando vão dormir?
Quando era pequenina, a minha mãe fazia-me uma trança larga todas as noites para eu dormir; já eu continuei o ritual. Há uns anos atrás, um cabeleireiro até me disse que dormir com uma trança era o mais saudável para o cabelo, visto que evitava danos e estragos. 
No entanto, não-sei-quem disse-me que dormir com uma espécie de puxo, não apertado, no cimo da cabeça, além de fazer o mesmo efeito, também dava mais volume. Alguma entendida na matéria por aí?


domingo, janeiro 06, 2013

turn of events


E foi num momento mais difícil que me deparo com o comentário da M. (aqui):

«(Sempre que vejo uma foto de uma bailarina, lembro-me de ti) :) »

As minhas palavras foram, exactamente, estas: 

«Ohhhhh!»

Horrível, horrível?



É quando, sem estarmos à espera, depois de uma semana onde, finalmente, tudo estava a entrar nos eixos, numa sexta-feira à noite, sofres a maior humilhação da tua vida.
Sim, já me disseram que as verdades magoam, no entanto nunca - em toda a minha existência - cheguei a imaginar que poderiam pensar certas coisas de mim; nunca ousei imaginar que, para algumas pessoas, fosse verdade.
E, depois, ponho-me a pensar no que poderia ter feito ou no que poderia ter dito na altura, e revolto-me ainda mais; pois, educada como fui, fiquei calada, visto que se tratava de alguém que até considerava um dos meus ídolos. Irónico, não?

Sei que este post está muito confuso, mas compreendam que, tendo sido tão humilhante para mim, não me sinto à vontade para contar aqui (nem noutro lado qualquer).
Agora, estou apenas à espera que o karma faça o trabalho dele.

Acho que nunca me senti tão magoada.

quarta-feira, janeiro 02, 2013

Eu sei que estou, mas ela não aparece!


Há uns dias atrás, em conversa com uma grande amiga minha, acabei por lhe contar o meu dia-a-dia, as minhas preocupações, o meu passado, e mais um sem fim de coisas.
E isto foi a única coisa que ela me disse (acompanhada pela minha interjeição preferida - que já de si diz muito):

- Credo, estás mesmo a precisar de uma aventura.

welcome to my life




Eu bem saltei do banco com o pé direito, mesmo assim o ano não começou nada bem.
Decidi ir com o meu irmão (ele até pediu à namorada para me enviar uma mensagem a tentar convencer-me, e com isto eu não podia dizer que não, não é?). Combinámos ir depois da meia noite, porque há uma espécie de festa na casa dos meus avós todos os anos, onde o fumo do tabaco está constantemente presente - e, bem, aqui a béu é alérgica ao fumo do tabaco, pelo que inalá-lo a noite toda não foi das melhores ideias. Por isso, mal sabia eu que ia ficar com uma enxaqueca terrível há uma da manhã. Foi de tal maneira dolorosa, que fiquei agoniada e cheia de vontade de vomitar. 
Pelo que - estão mesmo a ver - foi este o meu bilhete de partida para a cama.

Primeiro dia do ano e acordo super mal-disposta; passei a tarde deitada, a ver séries, com a manta nos joelhos e a morrer de dores de cabeça. Fui para a cama às nove, tal eram as dores.

Este ano promete!