sábado, junho 30, 2012

Da viagem


Vou agora para Coimbra durante o fim-de-semana. As saudades que eu tenho daquilo! Desde o início do terceiro período que não ponho lá os pés - são trabalhos, são testes, são exames... Mas agora vou ter a minha recompensa!
Vou para casa dos avós, no meio da serra. Sem nada. Sem ninguém!

quinta-feira, junho 28, 2012

Do vestido

Lembram-se daquele post da «conversa bizarra» entre mim e a minha mãe?
Pois bem, acontece que ela não me estava a chamar obesa. Apenas reparou que o meu peito tinha crescido. Sim, é verdade, eu não sei o que fiz ou o que tomei para que elas resolvessem aumentar significativamente com esta idade, mas foi o que aconteceu. Daí que posso dizer adeus aquele vestido. A melhor parte? Este menino vem morar cá para casa:

segunda-feira, junho 25, 2012

«O meu maior medo»

A Inês do «Palavras Só Minhas» iniciou um desafio no blog dela. O objectivo é escrever um texto - grande ou pequeno - sobre um determinado tema, à escolha dela.
Desta vez, o tema é «O meu maior medo» e eu vou participar. Não porque, simplesmente, sim (e porque prometi-lhe que participava (:  ), mas porque achei que este tema se adequa perfeitamente à minha situação este ano.
Este ano fui guiada pelo meu medo; o meu «medo principal», aquele que manda nos medos todos mais pequenos, e é disso que vou falar neste post.



O meu maior medo é o de não ser suficientemente boa.
Quando digo isto a certas pessoas expressões como «Que tolice!» saem-lhes da boca. Não é tolice nenhuma. É um medo como qualquer outro; como o medo de ficar sozinha, como o medo de ter um vida monótona, ou como o medo de não ser amada.
Foi somente este ano que descobri que era esta a minha fraqueza. E descobri-a porque li um livro sobre medos numa altura muito má, no início deste ano; altura essa que não desisti de tudo, da minha própria vida inclusive, porque alguém me disse, mais-ou-menos, aquilo que está escrito na imagem - passo a citar «Things will get easier, people's minds will change, and you should be alive to see it.».
Pensei mesmo em tirar-me o privilégio de viver. Por muito ridículo e dramático que possa parecer, o momento em que não decidi optar pelo caminho mais fácil, pelo pior caminho, foi um pequeno espaço de tempo que nunca vou esquecer. Nessa altura eu tinha outro blog e eliminei-o. Eliminei todos os posts, um por um, enquanto pensava no que ia fazer a partir dali. Tinha aquele espaço há bastante tempo para perder uma noite a ler todas as palavras que tinha escrito, e a apagá-las. Uma por uma.
Depois, li esse livro sobre os medos e, isso acrescentado à acumulação de outros acontecimentos, levaram-me a seguir outro caminho. Foi aí que a minha mãe já não sabia o que fazer comigo. As pessoas têm diferentes formas de demonstrar mau estar. Umas choras, outras gritam, outras preferem fumar, beber... Eu isolo-me. Isolo-me de tal maneira que posso chegar a ficar dois dias sem abrir a boca. Nessa altura, a minha mãe levou-me pela primeira vez à psicóloga.

E porquê, perguntam agora vocês. Porque este ano é determinante para o meu futuro; para o que eu vou estar a fazer durante uma vida. Porque tudo o que eu fazia saía-me mal. Porque eu, algures pelo caminho, deixei de acreditar em mim mesma. Porque descobri que o mundo não é um lugar cor de rosa, com árvores verdes, pássaros amarelos e sapatinhos de ponta. É, pelo contrário, um sítio com injustiças tremendas, capazes de abalar uma mente ainda pura.
Ensinam-nos que quando nos esforçamos o céu é o limite; alcançamos tudo se trabalharmos para isso. Pois bem, eu tenho necessidade de ser suficientemente boa em tudo o que faço. Sempre fui assim, e não me orgulho, porque se até agora me trouxe recompensas, no presente o mesmo não se sucede. Não vou deixar de ser assim, mas estou a tentar atenuar esta minha forma de agir. Porque este ano esforcei-me muito, e não vi resultados. Agradeço, sinceramente, à minha mãe pelo facto de me ter levado à psicóloga; melhorei imenso desde essa altura.
E foi aí que não reabri o meu antigo blog, mas criei um novo e não podia estar melhor.
A verdade é que somos nós que fazemos com que o mundo seja ou não seja um sonho de menina ou um inferno total. Admito que aprendi da pior forma, mas agora sei que não posso dar passos maiores do que as minhas pernas. Eu tenho necessidade de ser boa em tudo o que faço e este ano descobri que não sou necessariamente boa em tudo. Não é um medo estúpido, é um medo que partilho com o meu irmão, e que juntos vamos ultrapassar. Se aprendi algo nestes últimos meses é que podemos contornar certos obstáculos. E este texto podia fluir e fluir e fluir ainda mais, porque este assunto já deu que falar na minha vida e as histórias são mirabolantes, mas não quero que a Inês se canse a lê-lo. (:



Atualizações



Acho que o exame de Física e Química correu bem. Pelo menos sei que correu melhor do que o exame de Biologia! (Espero não me desiludir). Estou ansiosa por ver os critérios, contudo também tenho medo de os ver!
Enfim, preciso que isto acabe de vez.

Na sala de exame, dos dois professores que estavam em vigília, um era um homem. Não sei que disciplina é que ele ensina (pelo modo de ser, parece-me que é de artes). Acho que o senhor lá engraçou comigo! No final do exame, perguntou-me: «Já estás menos nervosa?», e eu, olhei para a minha mão, que dava os últimos tremores e disse «Aparentemente, não!». Ele disse-me que eu precisava de ter mais calma, e, acima de tudo, controlo sobre mim mesma. Deu-me um discurso sensacional e no final disse «estou-te a dar o conselho que te vai ajudar durante 4, 5 anos... pela tua vida académica toda!».
Sim, eu sei; sim, eu agradeço, mas todas essas coisas de «saberes controlar-te» e «respira fundo» já eu pago à psicóloga para me dizer (e ajudar a fazer), e, sinceramente, tem tido resultados. Mas é um processo gradual.

Além do mais eu não estava assim tão nervosa!

sábado, junho 23, 2012

Conversa Bizarra



Hoje aconteceu algo estranho cá em casa. Entre mim e a minha mãe...
béu - Mãe, tenho de voltar a vestir o vestido para o casamento. Sonhei que não me servia!
mãe - Mas é melhor esperares mais umas semaninhas, ainda te assustas.
béu (com cara de what the hell?) - Assusto-me? O quê? Porque dizes isso?
mãe (silêncio) - Não, não... Nada... Sim, experimenta-o.
béu - Mas o que querias dizer com aquilo?!
mãe - Nada, nada! Sim, é melhor experimentá-lo.

E vai-se embora.
Só espero que ela não esteja a insinuar que eu tenha aumentado de volume! É certo que as últimas duas semanas têm sido passadas sentadinha na cadeira com livros à frente, mas, pelo amor da Santa, a roupa ainda me serve!
Ainda lhe vou conseguir arrancar a verdade. Hoje!

quarta-feira, junho 20, 2012

Planos para o futuro






O exame de BioGeo vai-me descer a média. Dormi mal e acordei cheia de dores de cabeça. Ontem nem fui capaz de vir aqui e escrever isso (achava que ainda estava a sonhar, provavelmente). Já chorei, já fiquei desiludida comigo própria e, agora, estou apenas revoltada, frustrada.
Vou à segunda fase. (Estou a dizer isto para mim própria desde hoje de manhã para ver se me convenço). Tenho conhecimento de muitas pessoas que tiraram baixas notas na primeira fase e, na segunda, conseguiram o 18 - que tanto me esforcei para ter, no mínimo. A questão é que não sei se estarei inserida na percentagem de alunos que consegue isso. Por essa mesma razão é que estou a tentar convencer-me de que sim, vou à segunda fase, sim, vou concentrar-me melhor, sim, vou tirar no mínimo 17,5! Afinal, enquanto existirem oportunidades, vou fazer de tudo para não desistir dos meus sonhos.
Também já me mentalizei que, se não entrar no curso que eu quero (o único curso em que me vejo no futuro, muito sinceramente) aqui em Braga, vou para Coimbra, onde a média é poucas décimas mais baixa.

Agora, tenho de me concentrar no exame de Física e Química. O facto de não me ter corrido tão bem este último exame pôs-me lânguida, e não, não me serve de incentivo para estudar ainda mais para o próximo! Pelo contrário, vou-me abaixo quando isto acontece. Contudo, eu sei que tenho de fazer isto, tenho de estudar e vai correr tudo bem desta vez. 
É não é?

terça-feira, junho 19, 2012

Exame de Biologia e Geologia



Quem o fez, contem-me como vos correu, por favor!
Eu sinceramente só abro a boca para dizer como é que me correu quando vir os critérios; mas que era difícil, sim, era! Estou cheia de medo de baixar a minha nota, (e pensar nisto enquanto fazia o exame não era grande ajuda, de facto).
Não acharam que de matéria, pouco tinha?! Estamos tão habituados a encontrar pressões osmóticas, tubos digestivos and so on nos exames de Biologia, e neste nada! Pouquíssimos tópicos. Basically, era uma árdua interpretação daquilo que estava escrito nos textos (e estes, eram fáceis de perceber? Não.)

Estou ansiosa por ver os critérios, mas calculo que alguém vá derramar algumas lágrimas hoje...

sábado, junho 16, 2012

a «don't ever give up» message

Da festa de aniversário de ontem


Sabe bem sair à noite depois de uma semana intensa fechada entre quatro paredes. As saudades que eu já tinha de vestir algo sem ser hoodie and pants! E o melhor de tudo? Diverti-me tanto, mesmo estando ele lá.
O aniversariante era um amigo com quem já não estávamos há bastante tempo, e agora, o meu grupo de amigos e eu, estamos a tentar perceber como é que nos fomos gradualmente afastando dele.
Estes cupcakes que podem ver na imagem aqui em cima foi esse colega que nos fez. Fez um para cada convidado, adornado com algo que identificasse cada um de nós! Ficamos todos abismados com a capacidade que ele tem para fazer bolos, capacidade essa que todos desconhecíamos.

Querem adivinhar qual é o meu?!

quinta-feira, junho 14, 2012

domingo, junho 10, 2012

Do estudo de hoje



Bem, hoje o estudo foi intensivo.
Tão intensivo que cheguei ao fim e tive mesmo de parar uns segundos para me questionar se eu fiz mesmo aquilo.
No horário de estudo, aqui a béu começa às 9h/9h30; mas, bem, hoje é domingo, pelo que duas horas depois do estipulado é que me dediquei aos livros! O mais estranho é que fome: nem vê-la, pelo que fiquei até às cinco a estudar a matéria toda de Biologia de 10º e 11º, com uma única pausa de 5 minutos.
Estou feliz? Oh, se estou!

quinta-feira, junho 07, 2012

Gay Marriage


A minha reacção após encontrar e ler esta imagem foi de perfeita concordância.
Numa sociedade tão desenvolvida como esta, quem está lá no topo já devia ter um pouco de juízo. Afinal, somos todos humanos e todos iguais, e ninguém tem o direito de injuriar quem quer que seja.
Abram lá os olhinhos, por favor.

quarta-feira, junho 06, 2012

Today's Fashion Inspiration

Estilos díspares, mas completamente funcionais; todos eles perfeitos à sua maneira.
É disto que é feita a Arte.







(gostei particularmente desta última fotografia. It has power, right?)

Aquele teste



Lembram-se daquele teste que eu ia ter e estava preocupada?
Bem, era o teste de Biologia, e tirei 20. Actually, era o teste de Geologia (daí essa nota!).
Gostava que tivessem filmado o momento de entrega do teste para rever a minha reacção! Sim, fiquei muito feliz, mas vamos lá a ser sinceros, o orgulho não é assim tanto; afinal, era um teste sobre calhaus!

A ausência tem um motivo



O horário de estudo está feito.
Agora, uma semana para pôr as mãos ao trabalho...

domingo, junho 03, 2012

O teu blog é lindo, original, fofo e muito mais...


1- dizer quem criou o selo e linkar o seu nome; Katy  
2- dizer quem me ofereceu o selo e linkar o seu nome: A Bad, (thank you very much!)
3- Responder às perguntas:


- Diz qual é o teu clube: Braga!
- Qual é o teu maior sonho? Ter a profissão que sempre quis.
- Qual é o teu animal favorito: Não tenho um preferido. Gatos, cães, cavalos.
- O que mais irrita? Não ser suficientemente boa em determinadas coisas.
- Que tipo de filme preferes? Comédia.
- Qual a rede social que mais gostas? Blog.
- Quais as palavras que estás sempre a repetir? Nunca reparei!
- Diz um desporto que adores: Dança (qualquer tipo). Também gosto de badminton e basketball. 
- Se pudesses pedir um desejo ao génio da lâmpada, qual seria? Mais desejos!
- Qual é o teu nome: Béu.

4-Oferecer a 8 blogs e linka-los 
Cisne
Ines
Manganet
Sanddi
TimTim
B.
Estilo Hedónico
Buzz