quarta-feira, novembro 12, 2014

escrito há um ano atrás| Dos pedidos de desculpa (que ficam sempre bem)


«Quando precisei mais de ti não estavas lá.
Entre festas, amigos e demasiados histerismos, descartaste-me totalmente. E o que é que isso diz sobre ti?
(...)
E o pior é que sabias. Sabias e sabes tudo aquilo que eu sou. Conheces-me por dentro e por fora, e ter consciência disso corrói ainda mais... É saber que viveste comigo meses e meses, sabias os meus pontos fracos e, mesmo assim, mesmo tendo sido tu a primeira pessoa com quem eu consegui ter mais do que plena confiança, tocaste na ferida e reabriste-a por completo.
Quando precisei mais de ti não estavas lá.
E dói. Dói muito saber que voltei a não confiar nas pessoas, sabes? E esse sentimento de vazio já não residia aqui há muito, muito tempo. Tudo porque não estavas lá. Nos meses em que o meu mundo se desmoronou aos poucos e poucos, à minha frente, e tudo o que eu podia fazer era ficar a olhar.
(...)
Perdeste os melhores e os piores momentos. Sim, principalmente os piores. 
E o que é que isso diz sobre ti?
(...)
Foi só horrível. E o pior? O pior é que não sabes a história toda.»

5 comentários:

Briana disse...

está mesmo lindo
R: Eu nem pus todas aquelas que gostei.. Ai que se eu pudesse perdia-me

JS disse...

É um ato de cobardia quando aqueles em quem confiámos e a quem abrimos o livro da nossa vida, aproveitam as nossas fraquezas para nos ofender e magoar. :/

Kiara disse...

r: Ui, isso queria eu, hibernar um fim-de-semana... mas não há tempo para isso, infelizmente.

AnaRita disse...

Lindo! Estava a ler e as lágrimas corriam-me na cara. Porquê? Porque essa história é muito semelhante à minha...

Kiara disse...

r: Isso é bem verdade! :b